Aspectos de infraestrutura e serviços como indicadores da turistificação na Vila de Encantadas, Ilha do Mel (Brasil)

Main Article Content

Daniel Hauer Queiroz Telles José Manoel Gonçalves Gandara

Resumen

A Ilha do Mel representa a realidade de alguns destinos turísticos insulares litorâneos brasileiros, com especificidades que vão desde os aspectos da imagem de um destino alternativo até a fragilidade social e ambiental próprias estes locais. Possui particularidades ímpares (ausência de automóveis e predomínio de pequenas pousadas) desde a evolução da exploração turística que já lhe confere quase quatro décadas.O objetivo deste artigo é analisar as condiçoes de infraestrutura e serviços restultantes do processo de turistificação da vila de Encantadas na Ilha do Mel (Brasil), como forma de elucidar os descompassos na estruturação do destino.O trabalho foi realizado através pesquisa bibliografica e documental, além de pesquisa de campo baseada em entrevistas com atores sociais membros da instância de governança local.Como principais resultados, se pode destacar pontos críticos em relação às condições infraestruturais e de serviços tanto para o turismo como para a sociedade. Tal descompasso possibilita constatar que o quadro de esgotamento do destino atingiu seu ápice por volta de 2006, consequência do padrão desregulado de turistificação queocorreu em meados dos anos 1990 e fim de século.

Article Details

Como citar
QUEIROZ TELLES, Daniel Hauer; GONÇALVES GANDARA, José Manoel. Aspectos de infraestrutura e serviços como indicadores da turistificação na Vila de Encantadas, Ilha do Mel (Brasil). El Periplo Sustentable, [S.l.], n. 21, p. 171-202, jul. 2011. ISSN 1870-9036. Disponible en: <https://rperiplo.uaemex.mx/article/view/5018>. Fecha de acceso: 02 oct. 2022
Sección
Artículos

Citas

Alegria, M. F. e H. P. Silva (2006), Refletindo sobre a dimensão coletivista do Conselho GestorII Seminário de Áreas Protegidas e Inclusão Social, Programa EICOS-IP/UFRJ.

Bernardes, A. et al. (2000), “O papel ativo da Geografia: um manifesto”, in Encontro Nacional de Geógrafos, 12., Florianópolis, SC, jun.

Bernardes, J. A. (1995), “Mudança Técnica e Espaço: Uma Proposta de Investigação”, em I. E. Castro, P.C.C. Gomes e R. L. Corrêa (Org.) Geografia: Conceitos e Temas. Rio De Janeiro, Editora Bertrand Brasil.

Brasil (2000), Lei9985, de 18 de Julho de 2000, disponible em http://www.lei.adv.br/9985-00.htm [acessado o 13 de outubro de 2009].

Cardoso, F. H. C. y E. Faletto (1981), Dependência e Subdesenvolvimento na América Latina – ensaio de interpretação sociológica, 6ª ed., Rio de Janeiro, Zahar.

Coriolano, L.N.M.T (2003), “Os limites do desenvolvimento e do turismo”, in O turismo de inclusão e o Desenvolvimento Local. Org. Coriolano, L.N.M.T. Ed. Premius, Fortaleza.

Ferretti, E. R. (2002), Turismo e Meio Ambiente: Uma abordagem integrada, São Paulo, Ed. Roca.

Furtado, C. (1992), “O Subdesenvolvimento Revisitado”, em Revista Economia e Sociedade, vol. V, núm.1, pp. 5-19.

Gandara, J. M. G. (2003), “La sostenibilidad de los destinos turísticos urbanos. In Molina, S. (edit), Organizaciones del Tercer Sector en el Turismo”, em Turismo 1, REDES, Ciudad de Mexico, pp. 91-118.

Gandara, J. M. G., E. Torres, e D. Lefrou (2003), “A participação de todos os atores no processo turístico”, in Anais do I Seminário de Pesquisa em Turismo do Mercosul. U.C.S. Caxias do Sul.

Gandara, J. M. G., C. E. Silveira e E. Torres (2005), Os atores envolvidos e sua importância no desenvolvimento de destinos/produtos turísticos sustentáveis e competitivos In: Anais IX ENTBL, ISSN: 1808-9755, Recife. h

Hiernaux, Nicolás (2003), Turismo y sustentabilidad: crisis de paradigmas y nuevas orientaciones In. Desarrollo turístico y sustentabilidad – Gomez Nieves, S. Universidad de Guadalajara, Mexico.

Ioannides, Dimitri (2006), Re-engineering established products and destinations. In: Tourism Business Frontiers. Costa, C.; Buhalis, D. (Org.). ISBN: 0 7506 6377 4. Elsevier Butterworth-Heinemann: Oxford.

Laville, C. e J. Dionne (1999), A construção do saber: manual de metodologia da pesquisa em ciências humanas, Porto Alegre, ed. Artes Médicas Sul Ltda, Belo Horizonte e UFMG.

Niefer, I. A. (2002), Análise do perfil dos visitantes das Ilhas do Superagui e do Mel: Marketing como instrumento para um Turismo Sustentável. Tese de Doutorado, Depto. Engenharia Florestal, UFPR. Curitiba.

OMT, (1999), Guia para administraciones locales: desarrolo turístico sustentável,Turismo y medioambiente OMT, Madrid.

Paiva, S. M. C. (2001), Os Programas Governamentais para o Desenvolvimento do Turismo, Incluindo o Turismo Ecológico, In http://www.senado.gov.br/conleg/artigos/economicas/OsProgramasGovernamentais.pdf, [acessado em 15 de octubre de 2009].

Paraná,(1986), Coletânea da Legislação e Documentação sobre a Ilha do Mel. IAP.

Paraná (1996), Plano de Manejo – Estação Ecológica da Ilha do Mel – PR. Instituto Ambiental do Paraná e Secretaria do Estado de Meio Ambiente e Recursos Hídricos.

Paraná, (1999), Ilha do Mel- Análise da expansão urbana, Comissão para elaboração do plano de instruções básicas, Curitiba.

Sancho Perez, A., G. GarciaMesanat, A. Pedro Bueno e R. M. YaguePerales (2001) Aduditoria de Sostenibilidad em los Destinos Turísticos. Valencia, MINIM

Santos, M. (1992), Espaço e método, 3 ed. São Paulo, Nobel.

Santos, M. e M. L. Silveira (2001), O Brasil: território e sociedade no início do século XXI. Rio de Janeiro, Record.

Silveira, M.A. (1998), “Ecoturismo na Ilha do Mel/Paraná”, Em Turismo e Meio Ambiente, Fortaleza, v.1. Ed. UECE.

Souza M. L. (2002), Mudar a Cidade: uma introdução crítica ao planejamento e à gestão urbanos, Rio de Janeiro, Bertrand.

Souza, M. L. (1995), “O Território: sobre espaço e poder, autonomia e desenvolvimento”, In CASTRO. Iná Elias; GOMES, Paulo César da C.; CORRÊA, Roberto L. Geografia: conceitos e temas, Rio de Janeiro, Bertrand Brasil, pp.77-116.

Sperb, M. P. e Teixeira Rivanda Meira; (2006), “A Sustentabilidade Ambiental do Turismo Na Ilha do Mel, PR: Perspectiva dos Gestores Públicos”, em Turismo. Visão e Ação (Itajaí), v. 8, núm. 3, pp. 1-10.

Telles, D. H. Q. (2007), Análise sobre os aspectos socioambientais e da atividade turística na Vila de Encantadas -Ilha do Mel. Dissertação de Mestrado. Programa de Mestrado em Geografia da Universidade Federal do Paraná.

Telles, D. H. Q. e J. M. G. Gandara (2009), “Desenvolvimento do Turismo e Questões Socioambientais na Vila de Encantadas, Ilha do Mel-PR: uma análise a partir da perspectiva da sociedade local”, Em Revista Turismo Visão e Ação, v 11, núm. 1, pp.23-40.

Telles, D. H. Q., J. M.G Gandara, L. Fontoura e M.Sperb (2011), “Gestión Territorial y Planificación Participativa en la “Ilha do Mel” –Brasil: Conceptos y Prácticas”em Estudios y Perspectivas en Turismo, v. 20, pp.270-287.

Valls, J. F. (1996), Las Claves del Mercado Turístico, Bilbao, Ediciones Deusto.

Vera Rebollo, J.F., F. López Palomeque, M. Marchena Gómez e S. Anton Clavé (1997) Análisis territorial del turismo. Barcelona, ed. Ariel Geográfica.