Territorios en el contexto de la Fiesta del Divino Padre Eterno: un estudio realizado en el municipio de Trindade/GO/Brasil

Main Article Content

Lorrana Laila Silva de Almeida Alesssandro Gomes Enoque

Resumen

Las posibilidades de estudios sobre territorios, especialmente en contextos festivos religiosos, permiten el análisis de las partes como espacios para la producción de disputas y conflictos territoriales. En este sentido, el contexto de análisis festivo religioso refleja las relaciones generadas entre los individuos y, principalmente, las relaciones establecidas entre comunidades entendidas como agentes políticos que tienen una cierta identidad, control y dominio sobre el territorio. Con base en lo anterior, este trabajo consistió en analizar cómo se configura el territorio en el contexto de la Fiesta del Divino Padre Eterno en Trindade-GO, de acuerdo con las relaciones establecidas entre comerciantes, residentes, autoridades públicas y peregrinos. El estudio se realizó con base en las entrevistas estructuradas, analizadas utilizando la técnica de análisis de contenido. Como resultado, el contexto festivo permitió identificar la existencia de territorios que se forman a partir de la celebración, así como los conflictos territoriales entre los diversos grupos que forman parte de la manifestación religiosa.

Article Details

Como citar
SILVA DE ALMEIDA, Lorrana Laila; ENOQUE, Alesssandro Gomes. Territorios en el contexto de la Fiesta del Divino Padre Eterno: un estudio realizado en el municipio de Trindade/GO/Brasil. El Periplo Sustentable, [S.l.], n. 41, p. 337 - 378, nov. 2021. ISSN 1870-9036. Disponible en: <https://rperiplo.uaemex.mx/article/view/14718>. Fecha de acceso: 30 nov. 2021 doi: https://doi.org/10.36677/elperiplo.v0i41.14718.
Sección
Artículos

Citas

Agência de Notícias Primeira Hora (25 de julho de 2018). Festas populares movimentam economia do País: Em cada região, turistas são atraídos pela variedade de música, gastronomia, costumes e crenças celebrados em diferentes épocas do ano. Agência de Notícias Primeira Hora. Disponível em: https://primeirahora.com.br/festas-populares-movimentam-economia-do-pais/, [01/10/2020].
Almeida, L. L. S., Enoque, A. G. & Borges, A. F. (2019). Empreendedorismo de Festas Populares: uma análise do modelo de dimensões proposto por Zeny Rosendahl para o estudo de festas religiosas católicas. Teoria e Prática em Administração, 9(2), 1-13.
Baiardi, A. (2008). Competição e competição/ cooperação. Organização & Sociedade, 15(45), 47-60.
Baptistella, R. (2010). Festas populares: lugares, territórios, experiências. Moringa: Artes do Espetáculo, 1(1), 79-86.
Bardin, L. (2011). Análise de conteúdo. São Paulo: Edições70.
Barros, S. C. B., Nascimento Neto, L. E. (2011). Um olhar geográfico na festa de São Sebastião no Encanto-RN. Geotemas, 1(1), 48-58.
Bonjardim, S. G. M. & Almeida, M. G. (agosto, 2013). Patrimônio cultural: território e poder da Igreja católica de Sergipe. Trabalho apresentado em “30 anos de contribuição à geografia”, Núcleo de Pós-graduação em Geografia, Universidade Federal de Sergipe, NPGEO, São Cristóvão. Disponível em: file:///E:/Bibliotecas/Downloads/1443-Texto%20do%20artigo-3835-1-10-20130821%20(3).pdf, [12/12/2019].
Brandão, C. (2008). Pactos em territórios: escalas de abordagem e ações pelo desenvolvimento. Organização & Sociedade, 15(45), 145-157.
Calácio, M. (2014). Festa do Divino Pai Eterno: fonte de economia criativa para Goiás. Governo de Goiás. Disponível em: https://www.goias.gov.br/servico/94689-festa-do-divino-pai-eterno-fonte-de-economia-criativa.html, [01/10/2020].
Canal, M. A. F. C. (2018). Imaginário Amazônico e Territorialidade Festiva: o Divino na Festa do Sairé de Alter do Chão (Pará/PA, Brasil). Turismo & Sociedade, 11(2), 192-216.
Cavenaghi, A. J., Bueno, M. S. & Correa, R. N. (2012). Festa e turismo: por uma relação possível. Rosa dos Ventos: Turismo e Hospitalidade, 4(4), 587-598.
Chaves, F. N. (2014). As festas populares como produto: mídia, turismo e descaracterização cultural: mídia, turismo e descaracterização cultural. Tropos: Comunicação, sociedade e cultura, 1(2), 1-8.
Cooper, D. R. & Schindler, P. S. (2011). Métodos de pesquisa em administração. Porto Alegre: Bookman.
Corrêa, J. S. & Alves, F. D. (Junho, 2016). Festa de São Benedito: territorialidade e cultura no município de Machado-MG. Trabalho apresentado em IV Jornada Científica da Geografia UNIFAL, Alfenas. Disponível em: https://www.unifal-mg.edu.br/4jornadageo/system/files/anexos/jhonatan275_279.pdf, [17/04/2020].
Costa, A. M. D. (2011). Festa de santo na cidade: notas sobre uma pesquisa etnográfica na periferia de Belém, Pará, Brasil. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi: Ciências Humanas, 6(1), 197-212.
Costa, C. L. (2008). As festas e o processo de modernização do território goiano. Raega: O Espaço Geográfico em Análise, (16), 65-71.
Costa, C. L. (2010). Cultura, religiosidade e comércio na cidade: a Festa em louvor à Nossa Senhora do Rosário em Catalão – Goiás. (Tese de Doutorado, Curso de Geografia Humana, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo). Disponível em: https://teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8136/tde-06122010-151424/publico/2010_CarmenLuciaCosta.pdf, [23/04/2020].
Cruz, M. S. R., Menezes, J. S. & Pinto, O. (dezembro, 2008). Festas culturais: tradição, comidas e celebrações. Trabalho apresentado em I Encontro Baiano de Cultura, I EBECULT, Salvador. Disponível em: http://www.uesc.br/icer/artigos/festasculturais_mercia.pdf, [01/10/2020].
Espindola, H. S., Ferreira, N. M. & Mifarreg, I. E. G. (2018). Território da mineração: uma contribuição teórica. Revista Brasileira de Geografia, 62(2), 67-93.
Ferreira, D. S. (2014). Território, territorialidade e seus múltiplos enfoques na ciência geográfica. Campo-Território: Revista de Geografia Agrária, 9(17),111-135.
Ferreira, M. N. (2013). Comunicação, Resistência e Cidadania: as Festas Populares. Comunicação & Informação, 9(1), 111-117.
Flores, M. (março, 2006). A identidade cultural do território como base de estratégias de desenvolvimento: uma visão do estado da arte. Territorios con identidad cultural: Contribuição para o Projeto Desenvolvimento Territorial Rural a partir de Serviços e Produtos com Identidade. In. Anais, Territorios con identidad cultural – RIMISP, Colômbia. Disponível em: https://static.fecam.net.br/uploads/28/arquivos/4069_FLORES_M_Identidade_Territorial_como_Base_as_Estrategias_Desenvolvimento.pdf, [10/12/2019].
Folha Online (02 de abril de 2005). Conheça as principais festas litúrgicas da Igreja Católica. Folha Online Mundo. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/folha/especial/2005/papa/0059.shtml, [23/03/2020].
Fuini, L. L. & Mello, M. C. O. (2017). Território e região: paradigmas, continuidades e rupturas na constituição dos conceitos na geografia e em seu ensino. Revista Casa da Geografia de Sobral, 9(1), 64-86.
Goulart, S., Vieira, M. M. F., Costa, C. F. & Knopp, G. C. (2010). Articulações em rede e acontecimentos no território: subsídios teóricos para a formação de políticas públicas para o desenvolvimento. Cadernos EBAPE.BR, 8(3), 388-403.
Jornal Hora Extra (15 de maio de 2020). Festa do Divino Pai Eterno 2020 será realizada de forma virtual. Jornal Extra. Disponível em: https://jornalhoraextra.com.br/cultura/20685-festa-do-divino-pai-eterno-2020-sera-realizada-de-forma-virtual/, [01/10/2020].
Juárez-Sánchez, J., Ramírez-Valverde, B. & Mota-Vargas, J. (2017). ¿Las peregrinaciones rurales impulsan el desarrollo local? Análisis en San Miguel del Milagro, Tlaxcala, México. El Periplo Sustentable, (33), 428-451. Disponível em: https://rperiplo.uaemex.mx/article/view/4863, [22/07/2020].
Lima, P. A. D., Bahia, M. C. & Costa, L. M. G. (2019). Territorialidade religiosa: uma análise da Igreja profética batista da restauração na região metropolitana de Belém-PA. Revista de Estudos da Religião,19(3), 185-200. doi. 10.23925/1677-1222.2019vol19i3a11.
Lima Filho, P. M., Cardoso, L. F. C. & Alencar, E. (2018). Festas de santo, território e alianças políticas entre comunidades quilombolas de Salvaterra, Marajó, Pará, Brasil. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi, 13(1), 109-128.
Marconi, M. A. & Lakatos, E. M. (2011). Metodologia científica: ciência e conhecimento científico, métodos científicos, teoria, hipóteses e variáveis, metodologia jurídica. São Paulo: Atlas.
Marques, L. M. & Brandão, C. R. (2015). As festas populares como objeto de estudo: contribuições geográficas a partir de uma análise escalar. Ateliê Geográfico, 9(3), 7-26.
Melo, J. A. B. (2010). Ordenamento territorial e sustentabilidade: um diálogo possível?, Caminhos de Geografia, 11(33), 220-229.
Mendonça, M. L. M. (setembro, 2001). Festas populares hoje: muito além da tradição. Trabalho apresentado em XXIV Congresso Brasileiro da Comunicação, Intercom, Campo Grande. Disponível em: http://www.portcom.intercom.org.br/pdfs/144157758201248121276683492434356032986.pdf, [12/12/2019].
Oliveira, C. D. S. (2015). Dinâmicas territoriais e organizacionais na Zona Sul do Rio Grande do Sul: um estudo do processo de gestão social do desenvolvimento territorial. (Tese de Doutorado, Curso de Desenvolvimento Rural, Faculdade de Ciências Econômicas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul). Disponível em: https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/132909/000981193.pdf?sequence=1&isAllowed=y, [01/10/2020].
Palmares Fundação Cultural (2009). Manifestações culturais negras. Disponível em: http://www.palmares.gov.br/?page_id=34089, [11/12/2019].
Rafael, L. R. M. (2018). Entre o ritmo, a cor e o movimento: as territorialidades na festa de congada da cidade de Ituiutaba/MG. (Dissertação de Mestrado, Curso de Geografia, Faculdade de Ciências Integradas do Pontal, Universidade Federal de Uberlândia). Disponível em: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/21554, [20/12/2019].
Raffestin, C. (1993). Por uma geografia do poder. São Paulo: Atica.
Record TV Goiás (05 de julho de 2017). GA - Compras na festa de Trindade. [YouTube video]. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=XZd_Ex4T1AI, [20/07/2020].
Rede Globo Ação (05 de janeiro de 2014). Confira algumas das festas religiosas que acontecem no Brasil: de norte a sul do país, comemorações atraem todo ano milhões de fiéis. Globo Ação. Disponível em: http://redeglobo.globo.com/acao/noticia/2013/01/confira-algumas-das-festas-religiosas-que-acontecem-no-brasil.html, [21/04/2020].
Rede TV Entretenimento (09 de julho de 2019). Romaria do Divino Pai Eterno reúne milhões de fiéis em Trindade (GO). [YouTube video]. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=B64Y1MC48Tg&t=29s, [22/07/2020].
Revista Raça Brasil (02 de novembro de 2016). Festa com cultura e música afro-brasileiras. Revista Raça. Disponível em: https://revistaraca.com.br/festa-com-cultura-e-musica-afro-brasileiras/, [19/04/2020].
Rocha, J. C. (2008). Diálogo entre as categorias da geografia: espaço, território e paisagem. Caminhos de Geografia, 9(27), 128-142.
Rosas Paz, L. & Propin Frejomil, E. (2017). Turismo religioso en la Basílica del Cristo Negro de Esquipulas, Guatemala. El Periplo Sustentable, (33), 394-427. Disponível em: em https://rperiplo.uaemex.mx/article/view/4862, [18/04/2020].
Rosendahl, Z. & Corrêa, R. L. (1999). Manifestações da cultura no espaço. Rio de Janeiro: EdUERJ.
Rosendahl, Z. (2012). História, teoria e método em geografia da religião. Espaço e Cultura, (31), 24-39.
Rosendahl, Z. (1996). Espaço e religião: Uma abordagem geográfica. Rio de Janeiro: EdUERJ.
Sack, R. D. (1986). Human territoriality: its theory and history. London: Cambridge University Press.
Sanfilippo, L. B. (2018). A festa como possibilidade de disputa de território. E-mosaicos, 7(14). 63-74. doi. 10.12957/e-mosaicos.2018.33325.
Saquet, M. A. (2009). Por uma abordagem territorial. In Saquet, M. A. & Sposito, E. S. Território e territorialidades: teorias, processos e conflitos (73-94). São Paulo: Expressão Popular.
Schneider, S. (2009). Ciências sociais, ruralidade e territórios: em busca de novas referências para pensar o desenvolvimento. Campo-território: Revista de Geografia Agrária, 4(7), 24-62.
Silva, M. A. V. & D’Abadia, M. I. V. (2014). A Geografia e o Sagrado: Festa de Nossa Senhora do Rosário em Goiás. Ateliê Geográfico, 8(3), 198-214.
Soares, L. E. (20 de julho de 2019). Festas afro-brasileiras podem ser reconhecidas como patrimônio de Belo Horizonte. 2019. Hoje em dia. Disponível em: https://www.hojeemdia.com.br/horizontes/festas-afro-brasileiras-podem-ser-reconhecidas-como-patrim%C3%B4nio-de-belo-horizonte-1.729037, [23/04/2020].
Souza, M. J. L. (2000). O território sobre espaço e poder, autonomia e desenvolvimento. In Castro, I., Gomes, P. C., Corrêa, R. L. (orgs.). Geografia: conceitos e temas (77-116). Rio de Janeiro: Bertrand Brasil.
Sturmer, A. B. & Costa, B. P. (2017). Território: aproximações a um conceito-chave da geografia. Geografia, Ensino & Pesquisa, 21(3), 50-60. doi. 10.5902/2236499426693.
Trigueiro, O. M. (2005). A espetacularização das culturas populares ou produtos culturais folkmidiáticos. Biblioteca online de Ciências da Comunicação. Disponível em: http://www.bocc.ubi.pt/_esp/autor.php?codautor=59, [18/04/2020].
TV Brasil Central (2015). Turismo religioso em Trindade (GO) cresce a cada ano. [YouTube video]. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=pKdlG299dxQ, [22/07/2020].
TV PUC Goiás (03 de julho de 2019). Economia de Trindade fica movimentada com a Festa do Divino Pai Eterno! [YouTube video]. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=spIKd78SdRQ, [22/07/2020].